terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

REALIZANDO UM DESEJO

A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.

Aparecido Donizetti Hernandez




REALIZANDO UM DESEJO
Celito Medeiros


Lamento não estar bem perto
Eu quero lhe oferecer flores
Dar um abraço à distância
Faz-me sentir bem perto
Não se importe também
Sinta nesta fragrância
Meu abraço, apenas
Sabe, foi a vontade
Desejo de realizar
Perdoe-me em ter
Demorado tanto
E dando pouco.


Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez
------------

Lilian Regina de Andrade

Postado no grupo mahavidy em 16 de fevereiro de 2020

Ando à noite, à noite ando...


A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.

Aparecido Donizetti Hernandez

Ando à noite, à noite ando...
Delasnieve Daspet


Vou andar na noite
escutar do vento o cantar,
catar conchinhas à beira-mar,
à noite vou andar...
Andei questionando os raios do luar,
se pensas em mim,
o tanto que penso em ti...
Da primeira aurora,
do primeiro raiar de luz,
na primeira estrela que brilha,
O sonho que sonho sempre,
tem o teu cheiro, perfume-orvalho!
Na pálida vida que levo,
me sinto sufocada, desesperada,
saio pela noite, a andar,
procurando um mundo real.
que não esconda
O riso, flor-da-pele, prazer.
Ando à noite, à noite ando...
Pois a noite pertence ao amante,
a noite pertence ao amor.
E ao te tomar nos braços, noite infinita,
( que a vida circunda, não passa ),
sei o que me espera noite, negra noite
que tudo cobre e nada encobre,
no momento, no espaço, no verbo,
na carne, na vida, que não somos!


Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez


------------



Lilian Regina de Andrade

postado grupo maravidya 15 de fevereiro

PINCELADAS

A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.

Aparecido Donizetti Hernandez


PINCELADAS

Luciano Caminha

Traços cada vez mais definidos,
De um esboço que já era digno
de uma moldura simples e abstrata,
Nossas cores e formas se misturando,
E pela janela do quarto
eu já não vejo somente o mundo,
Mas o mundo com essas sinceras e espontâneas,
Pinceladas dos nossos passos lado a lado.



Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez
------------

Lilian Regina de Andrade
Posta do grupo maravidia em 14 de fevereiro

BUSCA

A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.

Aparecido Donizetti Hernandez


BUSCA
Célia Lamounier de Araújo


Criado de uma idéia, o ser
nasce no mundo vindo da Luz
livre para buscar, não só estrelas,
mas no fundo da alma os momentos
que ficaram de pessoas, não fatos,
só a fantasia criada
pela imagem que passou
só a impressão, a beleza
do verso escrito que marcou,
da música forte
que se fez caminho
e levemente qual borboleta
se desprendeu melodia
do inconsciente da alma
num pensamento cresceu
e voando vai te encontrar.


Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez

------------


Lilian Regina de Andrade

Postado no grupo maravidya em 13 de fevereiro

SOL ESCALDANTE

A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.

Aparecido Donizetti Hernandez


SOL ESCALDANTE
Maria Magdalena de Oliveira Ayres Sagvalis


Sol Escaldante...
Preciso ir ao encontro
Do amanhã!
Manhãs de abril...
Incansável!

Quero, Senhor, nada saber
Cidade grande...
É lá que quero ir
Encontrar o meu amanhã.

Não mais o Sol
Escaldante,
A cerração fecha minha frente,
Prossigo...
Encontro o Viaduto do Chá
Freneticamente, parece sem rumo,
Chapéus, luvas, casacos...é tudo frio
Nem um olhar,
Muito menos um bom dia!

Apitos, apitos, carros, ônibus e fábricas fumegam
Madames em seus Cadilacs...
Essa é São Paulo, que me alucina...

Sou uma universitária,
Um comerciante,
Um ambulante,
Mais um poeta,
Malandro com cara de vagabundo?
Nada disso...
Sou mais um em busca de sonhos,
Sonhos do Saber!


Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez


------------

Lilian Regina de Andrade

Postado no grupo mahavidya em 12 de fevereiro de 2020

À TUA PROCURA


http://lh4.ggpht.com/_aUBnDxpDl4c/S3X8s3Qv36I/AAAAAAAAAQY/TBYcBSk_elc/s400/imagem.JPG


À TUA PROCURA
Aparecido Donizetti Hernandez



Poderia ter esperado?
Em muitas vidas, te esperei,
Nem em todas te encontrei.

Procurei-a nos montes,
Nos vales, nas florestas e
Entre as flores.
Procurei-a nas batalhas e
Nos refúgios.
Procurei-a nas Cruzadas,
Junto aos cristãos e ao mouros.
Procurei, procurei...

Entre sinais que cortam o espaço
E dele voltam
Encontrei-a em uma tela.
Mas nem sempre a tela
Me permite vê-la;
A tela ainda é controlada por
Homens,...
Homens que não me deixam vê-la.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

INSANOS...

























Insanos...

Iara Melo

Querem poldar minhas asas,
roubar o meu livre arbítrio.
Ferem-me, tentam matar o que
há de mais belo e puro no meu ser.

Querem, tentam, "conseguem" por alguns
segundos, "silenciar",
mas não destruir o que a mim pertence
por direito,
o prazer de ser,
estar e viver.

Iara Melo
Portugal, madrugada do dia 13/02/2010

e formatação EDIRCE

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

IMPURA ALMA


IMPURA ALMA

Aparecido Donizetti Hernandez



Oh, impura alma, que tens desejos insanos,

Tenha como exemplo seus antigos ensinamentos...

Não podes repetí-los,

Não cansais de sofrer de amor?



Quantas vidas precisas para esquecê-la,

Quantas angústias, quantas quimeras!

Quididade, já sabes que é... sofres por que queres!

De quê serviu seus ensinamentos...

Somente aprendestes a sofrer de amor?

Oh, alma impura, amargurada de amor,

Mantenha a quietude para ser feliz.
EDITADO POR: Lilian Regina Andrade

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

FASES DA LUA



A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.
Aparecido Donizetti Hernandez




FASES DA LUA
Aparecido Donizetti Hernandez
04/fevereiro/2010 – 21h10


Nossa vida, às vezes, parece as fases da lua,
estamos minguantes quando estamos cabisbaixos,
sem perspectivas, muitas vezes até sem esperanças;
aí antes de sumir, começamos a ser como a lua crescente...
sempre aparece um fio de esperança...
a esperança que permanece em nossa alma, em nosso espírito.

Começamos parecer lua nova - grande, linda, resoluta,
ainda sem muito brilho, mas linda,
exuberante no céu da vida, quase onipotente.

Quando somos a lua cheia?
Somente somos a lua cheia na hora
que o brilho intenso de nossas realizações
estão intimamente ligadas
ao brilho intenso das estrelas no céu
que refletem a luz própria dos que estão ao nosso lado,
juntos transformando o brilho da lua cheia dada pelo Sol;
e emprestando sua beleza
à realização coletiva e à preservação da Terra.



Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez

------------

Lilian Regina de Andrade Publicado 09 de fevereiro de 2010



Grupomahavidya Inscrição: envie um e-mail em branco para: grupomahavidya-subscribe@yahoogrupos.com.br