terça-feira, 15 de novembro de 2011

TUA CARTA


TUA CARTA

Socorro Lima Dantas


Recebi a tua carta,
meu coração reacendeu,
e o peito pulsou forte,
por uma razão:
houve um adeus !?...
acaso seria tu mesmo a me escrever ?
fiquei na incerteza...
envelope vermelho... perfumado...
como outrora foi a nossa história.
Só poderia ser tua, aquela carta tão esperada !
Incentivada pela certeza,
destrocei o envelope !
Inquieta, arranquei o conteúdo,
papel amarelado pelo tempo?...
Li as primeiras palavras,
uma declaração de amor
que só tu sabias fazer !
Parei por um segundo,
fechei os olhos e sonhei ...
Com mais calma, continuei a leitura,
espírito refreado,
fui decifrando o teu desejo:
promessas de volta, data marcada...
Lentamente, fui entendendo o teu conto,
lá estava toda uma história de amor !
Sorriso nos lábios, lágrimas nos olhos,
consegui desvendar a última linha descrita:
faltou coragem de endereçar-me aquela carta,
somente agora postada...
Sem esperanças de um novo encontro,
ainda que fosse tarde,
querias declarar-me o teu amor,
dizer-me não ter sido arrancado do teu peito
onde permanece guardado o nosso apego,
de um passado cheio de dor
cultivado pela saudade,
perfumado pelas pétalas secas da flor
que um dia enfeitou o nosso amor,
ainda conservadas em teu diário
parceiro do nosso passado
que não volta mais !
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário