quinta-feira, 27 de outubro de 2011

SEM PRISÃO

Sem prisão
Ruthy Neves



 Eu amo a vida sempre apesar das desilusões.
Muito mais agora... que achei a chave...
para abrir as amarras que me prendiam...
nesta prisão de antigos sonhos e paixões.
Sonhos que já não existem mais.
Quero o sentir, de mãos reais...
o gosto do beijo,
quente e apaixonado..
que me eram tão habituais.
Quero sentir o arrepio que a boca
ávida e saliente provoca no meu corpo.
Não este frio e gelado...arrepio...
que recebo das lembranças...
que também já se perderam no tempo...
causando agora também tantas indiferenças.
Colocarei tudo para fora...
o fogo, o desejo, a paixão....
esta amarga solidão...
sofrida até então.
E este amor ou apenas paixão...
porém... sem forma de prisão...
viveremos sem demora...
descobrindo juntos o prazer...
e o gozo desta nova união.



Taubaté-SP

Um comentário: