quarta-feira, 3 de março de 2010

ALGUMA COISA

ALGUMA COISA


Há alguma coisa
entre a pele e o osso.

Alguma coisa invísível,
palpável, não perecível.

Entre a luva e a mão,
O sensível, o fluido,
a razão.

Entre o sono e a vigília,
Alguma coisa possível.

Salva as palavras, os homens.

Multiplicam os peixes,
consagram o corpo,
o vinho e o pão.

Raimundo Lonato

Um comentário:

  1. Querido, vc sempre se superando. Obrigado pela oportunidade de chegar aqui e lhe encontrar entre tantos poemas lindos.Mil bjs no coração.
    Sônia Rêgo.

    ResponderExcluir