quarta-feira, 3 de março de 2010

AO ÉDEN

AO ÉDEN
Ari Santos de Campos


Vou me atrever a viver contumaz:
- quero enlaçar os meus sonhos aos seus,
sei que em seu mundo não restam jamais
sonhos feridos unidos aos meus.

Minhas malicias ficaram pra trás:
não trilharei mais caminhos ateus...
busco meu mundo, repleto de paz,
tal como um éden - viver semideus.

Neste meu vale sem cor, nem valor,
vejo lampejos cruzando o meu fim;
por isso torno e prossigo no amor.

Se dentre às pedras jogadas em mim,
em qualquer fenda nascer uma flor,
lá, com certeza, farei meu jardim.



PORTAL CEN - Revista A GRUTA DA POESIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário