terça-feira, 25 de maio de 2010

APENAS UM POEMA

Apenas um Poema



Resta-me apenas um poema,
para dizer nos cantos da sala.

Resta-me ouvir a bênção das horas
e a alegria de um sonho em cores.

Restam rosas encarnadas,
náufragas de um rio nas mãos.

Resta-me exercitar a bondade
e acalmar a fúria dos fantasmas
a gargalhar atrás das árvores.

Resta-me uma noite
morrendo em mim.

Calado,
espero estrelas.

Raimundo Lonato

Nenhum comentário:

Postar um comentário