terça-feira, 2 de outubro de 2012

CAMINHOS QUE LEVAM A VIDA

CAMINHOS QUE LEVAM A VIDA
Miguel Rubio
(Miguelzinho da Vila)
Fonte: Elizabeth Misciasci



Eu sei que você sente saudades,
Mas, não pode voltar atrás,
No lugar que você viveu,
Dos amigos e dos teus pais.
Às vezes a gente pensa,
Que não vai errar nunca mais,
Mas, o destino coloca pedras no caminho,
Não se sabe o estrago, que ele faz.

Naquela pracinha, onde você colhia uma flor...
Hoje ela é triste, até perdeu a graça,
Das minhas recordações,
A minha saudade não passa.
Na estrutura da minha vida,
Hoje falta uma pilastra,
Quando eu chamava a tua atenção,
Você fazia sempre uma pirraça.

Você hoje tão distante,
Ao ler este poema, eu sei que você chora,
Mas, nada poderá fazer,
É tarde demais agora.
É um pássaro de canto triste,
Que está preso na gaiola,
Mas... Se você tiver vontade,
Quebre essa portinhola.

Quem te ama no coração,
Ficaram de ti distante,
Mas todos torcem por você,
Prá a tua luta ser constante.
Que aconteça sempre o melhor,
E os resultados, brilhantes!
E quando você voltar...
Seja voltar triunfante!

Teu pai, tua mãe, teus parentes, a Toco, a praça da Conquista, Colégio São Jose,
Os vizinhos, a Vila Matilde, a tua rua... Sem você, ficamos sozinhos...
Com muita saudade!


Nenhum comentário:

Postar um comentário