segunda-feira, 21 de junho de 2010

CENESTESIA DA DOR

CENESTESIA DA DOR
Dária Farion



Num cenário grandioso, um mar de gente enfeitiçada
Só assim poderia ser o Adeus do Campeão.
A derradeira mensagem Senna deixou naquele olhar.

Já na pista, ainda brindou os fãs
Desfilando lentamente, acenando mentalmente
Acelerou... partiu. Fez sua viagem sem volta.

A morada da vida sem vida,
Rubro líquido precioso
Na pista ficou.

Uma dor extrema...
Comovente o público chorou.

Silêncio profundo.
Tão profundo!... cada lágrima em flor se transformou,
Cada olhar marejado um farol, seu trajeto iluminou.

O cenário mudou.
A plateia agora é outra
Legião de anjos o acompanha ap pódio celestial

De repente Senna vê uma bandeira desfraldada
Aquela bordada " AYRTON SENNA", cobrindo uma nação.
Foi para que não visse um povo chorando
Bandeiras a meio pau tremulando.




Lilian Regina de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário