sexta-feira, 11 de junho de 2010

CORDA DOS SONHOS


A arte literária é consequência da própria vida, viver é a arte do inexplicável, das dúvidas e da esperança.

Aparecido Donizetti Hernandez


CORDA DE SONHOS
Jorge Humberto


Acordo para a manhã com o despertar
dos justos.


Minha alma está tranquila
por te saber bem e de saúde e assim
me levanto para o dia com os olhos

limpos de indústrias.

Dou-te os bons
dias e percebo que olhas para mim
com um carinho inolvidável e sorris,
e eu sorrio para ti na orla do mar.


Teus lábios salgados me farão nascer
uma outra vez, com cordas de
músculos e de insonias que um dia
deixastes em mim como o bem despertar


de teu ser inconfundível e eu esquecerei
o fel do que sofri com o bem querer
à flor da pele, assomando à janela de meu
jardim, de rosas, jasmins e outras flores.


Beijamo-nos demoradamente enquanto
lá fora os pássaros cantam às fêmeas
tentando atrai-las para si e para os seus
ninhos, maravilhosamente construídos.


E abraçamo-nos peito com peito até
sentir o coração um do outro bem de
perto e um cavalo louco galopa a toda
a brida pelos nossos pulsos.

Planícies de nossos sonhos.

Desertos aqui por perto, tudo congemina a
nosso favor e eu sei que nos amamos
como se ama quem ama intensamente.


E eu sei que vou por aí tendo-te a meu
lado, de mãos dadas até onde somos
nós a sós mais o Universo exaustivo
que nos complementa e nos diz: amor.


Marcas Poéticas - direito autoral de Aparecido Donizetti Hernandez


------------

Lilian Regina de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário