quinta-feira, 29 de julho de 2010

PROFUNDO SONO

PROFUNDO SONO
Aparecido Donizetti Hernandez



Durma, durma nesse profundo sono...
Sono de incontáveis dias e noites,
Durma, durma e quando acordares
Não mais verá o brilho do Sol,
Sol encoberto pelas espessas nuvens escuras.

Durma, durma e quando acordares não verás
Mais touradas em Espanha ou baleias no mar.
Durma, durma esse profundo sono...
E quando acordares, talvez, não mais existirá
As verdes florestas abaixo da Linha do Equador.

Durma, durma e quando acordares não mais estarei aqui...
Durma, durma, e quando acordares
Ainda existirá mulheres apedrejadas
Pela sandicidade humana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário