sexta-feira, 23 de julho de 2010

RIACHO

RIACHO
Aparecido Donizetti Hernandez


21/Julho/2010 – 14h25




Seu temperamento fascinante, temperamento de alma livre,
Como livre tem que ser o amor... livre, mas com ardor,
Como és livre, não a compreendes os que tentam controlar o seu amor.

Alma translúcida de mulher com corpo torneado de curvas sinuosas,
A conheci caminhando descalça nas areias brancas à beira do riacho,
Riacho de águas claras e límpidas, que refletia o sol de fim de tarde,
Criando luzes como na aurora boreal.

Luzes que fixaram em minhas retinas
A imagem que carrego da primeira vez que a vi,
Com seu longo vestido carmim com adereços azuis
E fascinante sorriso em seus lábios,
Lábios que a primeira vez beijei e nunca mais esqueci.

Temperamento fascinante que embeleza meus sonhos,
Sonhos de poder todas as noites te ver,
E nunca mais te ter
À beira do riacho de areias brancas de águas cristalinas...
Cristalinas como o ardoroso amor que nutro por ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário